Usando a automação de projetos para reduzir custos e aumentar a lucratividade

July 13, 2017

Com a implementação da automação de projetos, fabricantes que trabalham com projetos sob encomenda podem concluir em alguns minutos o que levaria dias de engenharia personalizada. A automação de projetos também agiliza e simplifica a criação de modelos do SolidWorks, desenhos, documentos de cotação de preços, dados para fabricação – praticamente qualquer requisito do processo de vendas personalizado.

 

 

 

   A maioria dos setores de hoje possui margens de lucro pequenas que tendem a diminuir no futuro. Mesmo nos segmentos onde as margens de lucro são maiores, a competição e a terceirização tornam a redução de custos obrigatória. Historicamente, os altos custos dos processos de engenharia têm contribuído de maneira tão significativa para diminuir a lucratividade que inúmeras tentativas têm sido feitas para reduzir o tempo gasto nos processos e custos das atividades de engenharia.

 

   A maioria dessas abordagens tem sido soluções específicas particularmente importantes, mas que não se aplicam a todos os casos. Por outro lado, a automação de projetos tem se destacado como um meio eficaz de cortar substancialmente os custos de uma série de atividades de engenharia bem definidas e comprovadas. Isso se aplica especialmente aos negócios que necessitam de rapidez de demanda, cotações precisas, engenharia consistente e, o mais importante, um tempo mínimo para disponibilizar o produto acabado.

 

 

Impulsionando a automação de projetos

 

   A maioria das empresas compartilha o objetivo comum de reduzir seus custos. Tradicionalmente, elas têm duas opções: (1) projetar menos e padronizar sua linha de produtos, ou (2) projetar de forma mais rápida.

 

   Se você não se importa em limitar as opções oferecidas aos seus clientes, a primeira opção é satisfatória. Mas a pressão para personalizar produtos vem aumentando consideravelmente nos últimos anos. Em um estudo da Cincom, 73% dos entrevistados apontaram a personalização como fundamental para produtos que superam o valor de US$ 100.000, enquanto que 25% consideraram isso crucial até para produtos abaixo de US$ 1.000.

 

   Esta tendência só vai crescer. O estudo da Cincom revelou que 63% dos engenheiros observaram aumento nas solicitações para personalização de produtos nos últimos 5 anos e 26% deles acreditam que essa taxa de crescimento estará entre 25% e 50% nos próximos dois anos.

 

 

 

   Se você quer manter seus clientes satisfeitos e ainda aumentar suas margens de lucro, a segunda opção é a ideal. Junto com o crescimento, contudo, vem o aumento dos problemas, especialmente se o processo não for bem gerenciado.

 

 

Mais crescimento, mais dores de cabeça

 

  Estas são as reclamações típicas que comumente ouvimos das empresas que não automatizam seus processos de projeto:

 

“Como estamos sempre ‘apagando incêndios’, frequentemente tenho que usar desenhos desatualizados para manter o trabalho em andamento. Isso pode provocar enormes erros. A partir do recebimento do pedido, nós temos normalmente seis semanas para finalizar o trabalho. Infelizmente, em geral não conseguimos nem mesmo obter os desenhos antes de cinco semanas.”

 

“Nós simplesmente não conseguimos fazer uma cotação suficientemente rápida. Na verdade, até rejeitamos pequenas consultas — cerca de 30% de possíveis pedidos. Nós também perdemos mais de 30% de possíveis contratos por não atender os prazos para a apresentação de cotações.”

 

“Nosso pessoal de vendas está sempre oferecendo o que não podemos fazer... ou vendendo a um preço pelo qual não podemos fabricar para o cliente.”

 

   A automação de projetos é a solução para os problemas citados acima – ela oferece um processo de engenharia ágil e também rapidez na produção de desenhos e de documentação.

 

   Outra pesquisa sobre usuários de sistema CAD realizou perguntas fundamentais a respeito dos processos de projeto adotados pelos usuários. Todos os entrevistados tinham o conhecimento necessário, já que trabalhavam em vários segmentos da indústria que documentam os retornos da automação de projeto. Isso inclui quase todos os produtos projetados sob encomenda e muitos produtos personalizados ou personalizáveis – basicamente, toda empresa cujo produto precisa passar pela engenharia para atender a uma grande parte das ordens de serviço.

 

   O que determina de maneira fundamental se a automação de projetos trará benefícios para a empresa ou para o projetista é o quanto os novos produtos derivam de projetos anteriores. Perto de dois terços dos entrevistados indicaram que uma porção significativa dos seus produtos – de 20% a 100% deles – são produtos derivados de outros projetos (Figura 1).

 

 

 

 Figura 1: Muitos projetos são baseados em projetos anteriores, o que faz deles bons candidatos para a automação de projetos.

 

 

   A pesquisa se concentrou em áreas onde a automação de projetos pode contribuir mais significativamente e priorizou seus resultados dentro da seguinte lista de atividades de engenharia a serem automatizadas:

 

  • Criação automatizada de peças, montagens e desenhos do SolidWorks com base em variações de produtos existentes (88,8%);

  • Geração automática de documentos para fabricação (75,9%);

  • Recuperação automática e incorporação de dados de produtos existentes e cálculos (61,8%);

  • Geração automática de propostas de vendas, cotações e documentação (51,8%);

  • Especificação de produto automatizada para equipes não técnicas, como a área de vendas (45,3%);

  • Especificação de produtos através da Web, como vendas remotas ou clientes (30,6%).

 

   Claramente, todos desejam algum tipo de automação de projeto, mas essa definição difere de empresa para empresa. O que é exatamente a automação de projeto?

 

 

 

   Várias empresas de setores diferentes estão procurando maneiras de economizar tempo e baixar seus custos nos processos de engenharia. Consequentemente, muitos fornecedores se referem a características ou utilitários distintos para identificar a “automação de projeto”. Infelizmente, a maioria deles não constitui um mecanismo de automação porque não lidam com o processo completo.

 

   Para empresas que oferecem produtos fabricados sob encomenda, a automação de projetos é definida especificamente como um sistema que captura e aplica, de uma forma mais ou menos automática, a atividade de engenharia às variantes de um produto, com o objetivo de finalizar os projetos em tempo mínimo.

  • Sistema: um controlador, em vez de um conjunto aleatório de recursos, que proporciona um fluxo de trabalho abrangente. Sistemas de automação de projeto frequentemente controlam sistemas CAD, interagem automaticamente com o gerenciamento do ciclo de vida do produto (PDM) e também com outros aplicativos de engenharia e de escritório.

  • Atividade de engenharia: todos os tipos de cálculos, instruções práticas, normas de engenharia e conhecimentos aplicados à variante do produto.

  • Mais ou menos automático: os sistemas de automação de projeto inteligentes automatizam certas partes, em geral trabalhos repetitivos ou braçais, não interferindo em áreas onde engenheiros experientes podem rapidamente avaliar um requisito de projeto e apontar uma solução criativa.

  • Variantes de produto: famílias de produtos derivados de um projeto padrão ou central, que deve ser modificado de forma significativa pela engenharia, antes de se obter a funcionalidade total do produto.

 

   Sob o ponto de vista da engenharia, você pode superar as dificuldades encontradas na personalização de um produto utilizando software para automação de projeto. Esse tipo de software utiliza a tecnologia CAD como uma forma de simplificar o desenvolvimento de produtos personalizados. A ideia é capturar as regras internas de projeto de uma empresa e a partir daí simplificar a criação de suas variações.

 

   A automação de projetos realiza tarefas repetitivas de engenharia rapidamente, calcula custos corretamente para cotações precisas e auxilia decisões de engenharia, evitando que o departamento de vendas especifique produtos irregulares ou impossíveis de fabricar.

 

   Considere o projeto de um transportador típico, como exemplo. Inúmeros fatores afetam o projeto, inclusive restrições de espaço, peso, tamanho e o espaçamento dos produtos a serem transportados, o tipo da correia e do sistema de acionamento.

 

   O pessoal não especializado pode pensar que seria fácil pegar o projeto básico de um transportador, talvez já fabricado para uma instalação recente, e refazer alguns detalhes para criar um novo transportador para o próximo cliente. No entanto, os engenheiros sabem o que é certo. Uma vez que o peso e o tamanho do produto variam em relação ao projeto original, são necessários muitos cálculos para obter do novo sistema a velocidade e o desempenho exigidos. Se o transportador original é voltado para detergentes de lavanderias e o novo para produtos alimentícios, a legislação exigirá materiais diferentes e garantias de controle contra contaminação. Um transportador maior para produtos pesados precisará de mais potência, enquanto que um sistema menor certamente apresentará vantagens de custo-benefício ao usar motor e trem de engrenagem menores. Se for necessária mais potência, isso exigirá uma mudança significativa na geometria do sistema e na instalação do motor. Proteções, guias e sensores certamente serão alterados, com possíveis mudanças nos quadros, suportes e medidores metálicos. Não é de se estranhar que o departamento de engenharia precise em média de quatro a oito semanas para configurar manualmente um novo transportador.

 

 

A automação de projetos é eficaz e eficiente?

 

   Sistemas de automação de projeto são usados desde os anos 80, auxiliando empresas a economizar tempo e dinheiro. Recentemente, um fabricante de máquinas executou em menos de uma hora toda a engenharia que antes tomava oitenta horas, através da implementação da automação de projetos. Hoje, um fabricante de elevadores pode apresentar cotações e desenhos em 24 horas, como desenhos de engenharia e a documentação associada, algo que no passado levaria semanas com os métodos manuais. Uma empresa de vigas de içar pode apresentar ao seu cliente um esquema geral de desenhos e uma cotação em menos de uma hora, o que anteriormente levaria 16 horas.

 

   Até produtos menores se beneficiam: suportes para componentes que levavam 45 minutos para serem configurados manualmente e agora são executados em menos de um minuto.

Então, é possível afirmar que a automação de projetos é tanto eficiente quanto eficaz.

 

   A boa notícia é que a automação de projetos está disponível para os usuários do SolidWorks através do software DriveWorksXpress.

 

 

Configuradores realizam automação de projeto?

 

   Muitos configuradores declaram que realizam tarefas de automação de projeto e inúmeras demonstrações confirmam isso. Contudo, eles basicamente são mais um processo complementar do que uma competência central do sistema. Invariavelmente, a automação de projetos é feita através da personalização com base em programação.

 

   Diferentemente dos engenheiros, os configuradores são apenas operadores. Ou seja, eles podem adicionar ou remover itens das listas de materiais (BOM), mas não entendem o fluxo de trabalho ou os tipos de cálculos de engenharia necessários. Como resultado, a maioria dos configuradores simplesmente não consegue lidar com projetos sob encomenda.

 

   Engenheiros de projeto precisam de um sistema que controle o pacote CAD de forma coerente e controlada. Além disso, cada item de automação deve ser criado de forma consistente, sem nada ser esquecido ou improvisado, tudo completo.

 

 

A automação de projetos na prática

 

   A automação de projetos deveria ser vista como uma nova forma de trabalho e não apenas um simples projeto com começo, meio e fim, realizado de uma só vez. Com a automação de projetos, é possível tratar cada parte de uma montagem como um projeto variável, automaticamente modificado através da inserção novos valores. Fazer dessa forma, contudo, seria um erro. O primeiro passo é determinar quais peças variáveis requerem engenharia e quais peças normalmente farão parte do subconjunto de uma montagem. A partir daí devemos selecionar o melhor candidato para iniciar o primeiro projeto, tipicamente um reprojeto que levará mais tempo do que vale a pena.

 

   Considere a ilustração de um transportador como exemplo. A maioria dos transportadores consiste em uma estrutura, suportes, roletes ou mancais, correntes ou correias. Um ou mais lados necessitam de protetores e guias. Alguns consistem em seções retas com uma mínima alteração na elevação, enquanto outros apresentam grandes distâncias na vertical e em espiral. Existem necessidades de controles e de sensores, considerações sobre acionadores e engrenagens, além de vários outros componentes modificados conforme os requisitos específicos de cada cliente.

 

   Uma vez que existem essas inúmeras variáveis, seria ingenuidade imaginar que fosse possível inserir todos os detalhes das diferentes peças no seu sistema baseado em regras de uma só vez. Por onde você começaria? Que caminho seguiria? Responda a esta pergunta e você terá a resposta para as primeiras tarefas.

 

A resposta, claro, é construir passo a passo as atividades automatizadas.

 

 

 

 

Mais informações ou dúvidas entre em contato!

 

 

Acesse www.4ieng.com.br/solidworks ou ligue para +55 71 3104-2277.

 

 

4i Engenharia - Revenda Oficial do SolidWorks 

 

 

Texto extraído do documento "Usando a automação de projetos para reduzir custos e aumentar a lucratividade.  Documento técnico", desenvolvido pela Dassault Systemes SolidWorks e disponibilizado para os VARs da SolidWorks.

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Em Destaque

SENAI Cimatec Park: Saiba o que rolou na inauguração!

November 13, 2019