Como a inspeção de equipamentos pode ser inserida na Indústria 4.0?

June 14, 2018

  A atividade de realizar inspeções de equipamentos é essencial para manter a integridade, segurança e confiabilidade dos ativos de uma indústria. Quando se foca especificamente em tubulações, linhas secundárias de pequenos diâmetros podem comprometer os ativos de uma unidade operacional.

 

 

  Em 2006, uma antiga instalação petroquímica da Costa do Golfo experimentou um vazamento de uma linha de hidrocarbonetos de 4 polegadas. Após vários minutos, esse vazamento encontrou uma fonte de ignição, causando um incêndio maciço que destruiu metade da unidade e custou à empresa US$ 50 milhões (STEPHEN A., ANDERSON, 2010). Portanto, deve-se dar uma atenção tão rebuscadas as linhas quanto aos equipamentos e máquinas de uma planta de processo.

 

  A Manufatura Avançada ou Quarta Revolução Industrial, pode ser entendida de forma abrangente como as mudanças promovidas pelas novas tecnologias que vão transformar a indústria ao longo do século XXI. Para isso, alguns “novos” conhecimentos (não tão novos assim, mas que a tecnologia atual permite o uso de uma parcela cada vez maior da população) são necessários. Especialistas acreditam que a própria noção do que hoje conhecemos como “fábrica” e “indústria” terá de ser redefinida.

 

 

  A tendência aponta para plantas flexíveis, sustentáveis e ergonomicamente desenvolvidas para “servir” ao homem e atender às expectativas do consumidor (cada vez mais exigente e sedento por personalização) e da sociedade (mais preocupada com questões socioambientais). Entre as oportunidades geradas por esta nova fronteira tecnológica estão: aumento da produtividade, redução de custos, economia de energia, aumento da segurança, conservação ambiental, redução de erros, fim do desperdício, transparência nos negócios, aumento da qualidade de vida e customização da oferta em uma escala sem precedentes.

 

 Como a Inspeção de Equipamentos pode se adequar a realidade pulsante da Quarta Revolução Industrial?  

 

  Existem várias tecnologias em desenvolvimento e muitas já disponíveis no mercado. Vou focar em um dos Pilares da Quarta Revolução Industrial: a Virtualização

 


  Imagine que cada Equipamento e Tubulação tenha além dos convencionais TAGs físicos, seu QR Code. Este código associado aos sistemas gerencias e técnicos de gestão de ativos de sua empresa. Em sua mão um device (que pode ser um tablet ou um celular). Atrelado a esse device, existe um software (aplicativo) que você fez um download conectado ao wifi e o instalou no seu profile com seu login e senha. Esse aplicativo é específico para inspeção e se comunica com sua planta virtual que está modelada em modelo CAD 3D. Você pode inclusive simular o seu percurso na planta industrial por esse aplicativo e prever as dificuldades que serão encontradas. Esse modelo CAD 3D e sua integração com o aplicativo de inspeção permitem inclusive gerar isométricos das tubulações de forma automática. Você parte para suas atividades e ao final do dia ao se conectar numa rede wifi, tudo está registrado automaticamente nos sistemas e os relatórios confeccionados.

 

  Vamos exemplificar uma situação. Digamos que irá fazer o exame visual de uma série de tubulações que estão cadastradas tanto no seu sistema gerencial (ex. SAP), como no técnico (exemplo Meridium, Máximo-IBM). Antes de ir a campo, você faz o carregamento de todos os dados do seu roteiro de inspeção através de uma rede de wifi num aparelho celular que já se comunica com esses sistemas (trazendo o histórico de inspeção das linhas, os pontos de atenção, os principais mecanismos de dano que podem ser encontrados naquele TAG). O aparelho possui um software próprio que de forma otimizada já traça através de GPS o melhor percurso para realizar toda atividade diária.

 

  Ao chegar no primeiro TAG, você faz uma leitura do QR Code com o aparelho celular que já abre toda a sequência de atividades a serem realizadas naquela linha, bem como abre (de acordo com a especificidade da tubulação) uma Lista de Verificação ou Check List que permitem respostas padronizadas através de listas suspensas (previamente cadastradas no software embutido no aparelho celular), além disso permite através da câmera do celular, o registro fotográfico de cada detalhe.

 

 

 Supondo que o estado da linha não seja o ideal e necessite de uma recomendação de substituição do trecho, você seleciona no próprio aplicativo o trecho a ser substituído, automaticamente as notas de manutenção são abertas, o isométrico do trecho já é gerado (já que existe integração com o modelo virtual do CAD 3D), todo o registro da inspeção está armazenado no celular. Você continua sua inspeção seguindo a ordem sugerida no aplicativo pelo GPS e faz, de forma análoga, a sua inspeção para as demais tubulações. Ao fim do dia, ao se conectar a uma rede wifi, todos os relatórios são gerados automaticamente e os registros são armazenados nos sistemas.

 

 E se tudo isso fosse realizado por um drone? Você está preparado (a) para esse futuro tão próximo?

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Em Destaque

O que há de novo no SOLIDWORKS PDM 2020?

January 15, 2020

1/7
Please reload

Posts Recentes